E lá.

sábado, 10 de abril de 2010










Alarido, vaga-lume no teto.

...................................Telha de vidro.
Manhã frugal.

O papel?
Não o tenho comigo.
..........................na pressa do passo de um verbo.
.....................................................................Partido.

Luz. Encantamento.
Abrirei bem as pernas. Um sonho-segredo será parido.
Deslizará, pesará sobre teu queixo, mas creia-me, atrever-se-á a muito mais.

A violência da dor é o desejo
de ser..............................desejo.............em...entre...pernas/pensamentos.
Forçado ou não, ser mais forte que. Desgastar. Polir. Limpar...depois.

Refúgio ígneo. Abrasivo calar-se que explora outro modo de dizer.
A fala do ato.

Pele. Fotografia de cinema francês.
Fibra delicada. Branca, transparente-etéreo.


Falta tinta? Escrevo à língua, permita-me fazer a vez de cálamo.
O Corpo.............................é um arranhado que só sara com sopro.
Se não o despedaço: eu pedaço...copo de desgosto...gosto de papelão.


Pressa. Devorar é decifrar por dentro.
É acossar o avesso, exigindo a resposta que o engodo do lado certo desfaça, que o engodo do lado certo disfarça tão bem.


E lá, então, sorri... ouvindo...Ella:


E lá...lendo versos de Rimbaud com dois olhinhos infantis, toca o céu. E eu. E eu espero que ele chova feliz depois disso...conjugando verbos entre o mar e o sol. Mas: apenas presente do infinitivo, com laço vermelho e tudo. Infinito, pessoal, demasiadamente...

perto.


6 comentários:

†† ÐART VAMPIRE LINCOUT†† disse...

Contextualizando nas palavras que li, descrevo na mente que por vil sobrevivência "re-li", dessa palavras fugazes que me torna a tona,em tom de pingos tintoriais que se desenha em sombra, deseja, soluça, beija o sentimento voraz, recôndita.

att,

Peregrinador das Ilusões.

Rafael sem h disse...

E lá... é tão lá... que é aqui.

; )

Francisco José disse...

E-lá vc é...

Hérlon Fernandes Gomes disse...

De repente me deu água na boca tudo isso!
Gosto de "tudo é permitido". Sua escrita é sem limites.
Beijos com gosto de François Truffaut. rs

Ângela Calou disse...

=]

Para um verbo partindo disse...

No passo incerto da contramão...e lá, e leve, na busca não menos incerta de uma noz...